O ACIDENTE DE MASSA E A MORTE DE AYRTON SENNA PODERIAM TER SIDO EVITADOS COM O USO DO PCP?


PROJETO PCP ( protetor de cockpit )

Este equipamento ( em seus inúmeros modelos listados abaixo ) é apresentado para Charlie Whiting e os engenheiros da FIA, desde 2012. Quem sabe um dia sirva para ser adotado e instalado nos F1
( vide fotos das reuniões com a FIA no final desta matéria ).

Conheça todos os modelos de PCP e seus detalhes abaixo:



(foto de visão real do piloto Lucas di Grassi testando os pneus Pirelli - câmera montada diante de um de seus olhos ).

Foto de visão real do piloto com simulação ( básica ) do PCP instalado no cockpit.




- PCP é encaixado e travado ao cockpit


Pode ser destravado automaticamente e retirado pelo piloto juntamente com o volante, ou por botão externo ( em caso de retirada do piloto pelos paramédicos ).


- As barras do PCP se tornam exelente apoio acima da cabeça, permitindo que o piloto saia do carro mais rápido ainda..



- O piloto pode entrar e sair normalmente ( e rapidamente ) do carro por entre as barras mesmo com o PCP instalado, em caso de capotamentos, incêndios, etc, evitando assim que fique preso dentro do carro.








As quatro da madrugada do dia 20/07/09, sem dormir, levantei-me unicamente para POR NO PAPEL ( com um rápido esboço ) a ideia de um produto que eu havia criado depois de ficar impressionado vendo as imagens do acidente que vitimou Henry Surtees em 19/07/09 ( no dia anterior ), piloto da F-2 em Brands Hatch.
Passada a semana, com esse acidente e a fatídica lembrança inevitável de Ayrton Senna na cabeça, naquele sábado 25/07/09, acontece nos treinos da F1 o acidente que quase mata nosso Felipe Massa.
Ai foi a gota dágua... Fiquei indignado e profundamente revoltado, como tantos Brasileiros, estrangeiros, etc. Ai veio a pergunta: - vc é designer ou não? E como designer, honrando a profissão, resolvi CRIAR, PROJETAR E DIVULGAR AO MUNDO meu DISPOSITIVO denominado "PCP" ( Protetor de Cockpit / proteção para piloto de monoposto ) , como forma de FAZER ALGUMA COISA, inicialmente pelos pilotos da F1, para TENTAR MINIMIZAR ACONTECIMENTOS E SOFRIMENTOS "BESTAS" que poderiam ter sido facilmente evitados ao longo dos anos nesse incrível esporte de velocidade.

Gostaria que todos postassem suas opiniões CONSTRUTIVAS sobre o PCP a fim de expor a opinião do público brasileiro, que já não agüenta mais perder de forma ridícula, seus pilotos representantes na F1, e ainda ver tudo continuar do mesmo jeito. Isso sem falar dos diversos pilotos de F1 e de outras categorias espalhadas pelo mundo.


Segue abaixo uma simples, básica e direta explicação de MEU PROJETO DE DISPOSITIVO DENOMINADO "PCP".


ass. Bira.


Palavras de Emerson Fittipaldi logo depois da morte de Senna:

“Deveríamos considerar um invólucro no cockpit, mas com uma abertura no topo, acima da cabeça do piloto. Não acho que deveria ser 100% fechada, mas com um lugar para saídas [de emergências]”.
Emerson Fittipaldi
(No “The 1994 Indianapolis 500 Yearbook” de Carl Hungness, p.17)


































(O PCP também pode ser constituído de uma estrutura tubular em liga de titânio e aço inox revestida de fibra de carbono para facilitar sua fabricação. A fibra de carbono formaria seu perfil aerodinâmico além de reforçar ainda mais o conjunto. E devido a suas características, no caso de um impacto a "casca" de fibra de carbono "pulverizaria" em uma nuvem preta, sem soltar "lascas" que poderiam ser perigosas ao piloto. E assim manteria a estrutura interna em titânio "intacta" no lugar....)
 

ESCOPO DO PROJETO

Projetei o PCP com o objetivo direto de oferecer o máximo possível de segurança ao piloto, com relativa facilidade de desenvolvimento, baixo investimento e rápida implantação. Procurei usar um design estrutural que alterasse o mínimo possível o comportamento aerodinâmico do carro, do acesso de entrada e saída do piloto, de sua pilotagem, das características do carro, etc, mantendo o que é previsto no regulamento da F1: "O princípio fundamental do cockpit permanece, como sempre, de que o piloto deve ser capaz de sair no mínimo de tempo possível - cinco segundos, de acordo com os regulamentos, e sem ter que remover nada, exceto o volante. (Os regulamentos também afirmam que o piloto deve conseguir colocar o volante de volta em outros cinco segundos, vital para possibilitar a manobra de carros acidentados nas proximidades da pista). fonte: "Cockpit / segurança http://www.ing-renaultf1.com/ - 14/02/08"

Poderia ter engates rápidos acoplados ao volante para ser removível pelo lado de dentro e fora do cockpit facilitando sua troca nos boxes, ou acesso ao piloto em caso de socorro. Teria uma estrutura projetada em sistema "ROPS e FOPS" (normas ISO 3449-1992 e ISO 3471-1994 - norma estrutural usada em gaiolas e cabines para tratores, a qual suporta o peso da máquina e quedas). Sua confecção usaria a liga de Titânio e aço inox, a mesma liga usada na fabricação das pás do rotor dos helicópteros Apache, projetadas para serem leves e suportarem impactos de projéteis e estilhaços durante os combates.

O PCP é algo viável, palpável e possível de ser rapidamente desenvolvido pelos engenheiros da F1 para 2010 ( para isso existem vários lá ). Porém é claro que o PCP mexeria no comportamento atual do F1, e não evitaria 100% dos acidentes durante as corridas ( muito bom para os mais comuns com pneus e partes de carros ), mas seria uma barreira a mais na proteção da cabeça do piloto em impactos frontais e laterais ( além de contar apenas com seu capacete ). Com o uso imposto pelo regulamento, todos se nivelariam e o PCP passaria a ser algo corriqueiro... E como visto na simulação acima, nesse acidente em particular, o PCP teria evitado o impacto direto da peça no capacete de Massa, e por tanto poderia proteger também em alguns casos raros de pequenas peças que possam atingir o piloto. O PCP não vai evitar tudo, mas quem sabe não poderia prevenir tantos outros acidentes que matam pilotos "bestamente" durante as corridas. Em fim, sua proposta é ser a penúltima chance, e fazer com que o capacete seja a ÚLTIMA, e não a ÚNICA CHANCE DO PILOTO, como ocorre hoje na F1 ( e em tantas outras categorias de monopostos com cockpits abertos ).
ass. Bira








Vídeo básico 3D demonstrativo do PCP instalado em um F1 (visão do piloto ):


video



FOTOS DEMONSTRATIVAS DO PCP INSTALADO NO F1






                                  modelo de PCP com proteção superior bipartida ( Mercedes F1).


                                   modelo de PCP com proteção superior bipartida (Sauber F1).

                                           opção de modelo de PCP com barras curvas.





Vantagens do PCP


- O PCP foi projetado para DESVIAR o máximo de objetos da cabeça do piloto como pneus, peças, detritos, etc. Além de proteger de impactos com muros, outros carros subindo no cockpit, impactos com postes, barreiras, etc. Tudo sem lacrar o cockpit por completo, mantendo sempre o piloto livre e as características dos monopostos de cockpits abertos.

- O PCP é fabricado em liga de Titânio e aço inox, a mesma liga das pás do rotor do helicóptero Apache, projetadas para serem leves e resistirem a estilhaços e projéteis sem quebrar.


- É construído dentro das normas ISO ROPS E FOPS ( normas técnicas da indústria para a fabricação de cabines de máquinas pesadas ).


- Protege o piloto desviando os objetos vindo em sua direção por todos os lados ( frente, laterais 
e superior ).


- O piloto pode entrar e sair normalmente do cockpit por entre as barras, mesmo com o PCP instalado. E suas barras servem de excelente apoio superior para facilitar e acelerar ainda mais a saída do piloto do cockpit.  


- O PCP é mais um dispositivo de segurança encaixado no F1 e facilmente retirado quando for preciso. É destravado automaticamente quando o piloto retira o volante do F1 ( e pode ter botão de destravamento externo para os paramédicos retirarem em caso de acidente ).  


- Suas barras bem abertas mantém o máximo da visão do piloto desobstruída.


- Possui pára-brisa frontal compacto para desviar pequenos objetos da viseira do capacete do piloto. O mesmo pode receber películas protetoras como as usadas no capacete do piloto e carros da Nascar, as quais podem ser retiradas nos boxes caso seja preciso.

- O PCP não prende o piloto em nenhuma situação, mesmo em capotamentos, incêndios, etc, mantendo sempre o cockpit do F1 aberto.


- Equipamento de valores e desenvolvimento acessíveis, não necessitando de grandes mudanças nos F1 de hoje para sua instalação.


- Pode ser instalado na maioria dos monopostos de cockpits abertos ( F1, F2, F3, Indy, GP2, etc).




  Possíveis desvantagens


- Afetará de certa forma a aerodinâmica do F1, mas como todos os carros usarão o mesmo equipamento, e o refinamento do desenho aerodinâmico do PCP, esta "possível" desvantagem fica nivelada e anulada no Grid.

- O sistema de encaixe e travamento levará um pouco mais de tempo para ser desenvolvido pelos engenheiros, mas nada impossível para profissionais que já criaram dispositivos na F1 como difusores duplos, difusores soprados, dutos DRS, asa stol, Kers, controle de tração, suspensão ativa, carro asa....etc, etc...






PCP - seu design é aerodinâmico, resistente, ergonômico, estético, de prática e rápida instalação. Por se utilizar de tecnologia e materiais já largamente utilizados na F1, proporciona um rápido desenvolvimento e aplicação, evitando grandes investimentos, pesquisas, demora na implantação, etc.
Seu uso evita acidentes que possam ferir o piloto durante uma corrida, tais como:
ferimentos por batidas em barreiras de pneus, muretas de proteção, por capotagens, por objetos que possam invadir o cockpit como pneus, rodas, peças de outros carros, etc.
E devido ao design estrutural ergonométrico do PCP, mantendo duas barras de "APOIO" acima da cabeça do piloto, este ainda o auxiliaria a escapar com maior rapidez em um acidente com fogo dentro do cockpit, como aconteceu com o piloto Tony Kanaan na fórmula INDY.















































O PCP TABÉM TERIA EVITADO O ACIDENTE DE FELIPE MASSA?
tire suas próprias conclusões vendo as imagens abaixo:















Acidente fatal de Henry Surtees na F2 em 19/07/09
http://www.youtube.com/watch?v=WgE24ZhcIfQ&feature=related


video





























http://www.youtube.com/watch?v=x-E6W_FR6Gg&playnext=1&list=PL1C4661DDC605B80E&index=12

Mais um acidente, desta vez ocorrido na fórmula Indy em SP em 14/03/10, o qual poderia ter ferido gravemente o Piloto Marco Andretti. Se esse bólido estivesse equipado com o PCP o piloto teria até conseguido sair de seu carro, pois o outro carro sobre ele ( de Mario Moraes )teria parado sobre o PCP, ou até mesmo deslizado totalmente para a frente, deixando livre em ambos os casos as aberturas do PCP para o piloto sair de seu cockpit sem sofrer nenhum arranhão.


Outro acidente para a coleção ( Nov. 2010 ), felizmente sem feridos...e a galeria vai crescendo.....






Outro acidente para a coleção ( Julho 2012 ), infelizmente COM FERIDO...e a galeria vai crescendo.....

                                                   ACIDENTE DE MARIA DE VILLOTA:







Simulação básica no cockpit de Maria de Villota que sofreu acidente durante um treino onde teve fraturas no crânio e perdeu a visão de um olho. Se o PCP já tivesse sido aprovado e implantado pela FIA ( desde 2009), Villota não teria se ferido neste acidente desnecessário.

Link da matéria do acidente:
http://tazio.uol.com.br/f1/de-villota-sofre-grave-acidente-em-teste-e-e-hospitalizada


MAQUETE DO PROJETO EM ESCALA:


Construi essa maquete da BRAWN GP pilotada pelo Rubinho ( escala 1:18 ) a mão, em resina e poliestireno, para ter uma idéia mais concreta da viabilidade de meu projeto de PROTETOR DE COCKPIT ( PCP ).

Repare no carro sem o PCP e com o PCP instalado, sem o PCP o carro parece estar "PELADO".

























BRAWN GP DO RUBINHO COM O PCP INSTALADO


cockpit convencional





cockpit com PCP instalado.






Ergonomia: O PCP pode ser retirado, ou levantado para que o piloto entre e saia do cockpit sem problemas ( antes e depois da corrida ). Mas se precisar o piloto pode sair do carro mesmo com o equipamento instalado, pois o PCP mantém a abertura do cockpit livre para seu acesso normal como ilustram as fotos abaixo. 






OUTROS MODELOS:

Modelo de PCP RETRATIL ( simulação básica ) :
Criei outra versão do PCP que mantém todas as características de pilotagem intactas do F1. Não possui barras na frente da visão do piloto, nem na hora de entrar e sair do F1, etc.
Seria a versão praticamente invisível do PCP.

Como é:
Possui uma estrutura em barras que cercam o cockpit ( laterais e frente ). Na frente das barras existe uma pequena placa de policarbonato resistente que fará as vezes de para-brisa. Todo o dispositivo fica abaixado, rente ao redor do cockpit. 
É acoplado a um sistema de acionamento e sensores espalhados pelo carro, praticamente iguais aos já existentes usados para AIR BAGS automotivos. 

Como funciona:
O piloto vai para as pistas como se nada de diferente existisse no carro. Sua visão, pilotagem, entrada e saída do carro são as mesmas de sempre.
Mas quando um objeto maior que um limão entra na área protegida pelos sensores, os mesmos automaticamente disparam o PCP fazendo suas barras levantarem cercando todo cockpit ( como os arbags ). E como o mesmo possui um para-brisa frontal, o piloto fica totamente protegido de impactos de frente, laterais e superior. Ou seja, protege de pequenos e grandes objetos, capotamentos, carros subindo sobre os outros, postes, muretas, etc. 

Vantagens:

-É uma estrutura que não exige tantas modificações no F1 por ser 90% externa, acompanhando as linhas do F1.
-Pode usar toda a tecnologia já existente dos Air bags automotivos, mudando apenas os balões de ar por dois atuadores pneumáticos instalados nas barras traseiras do PCP.
-Protege o piloto de todos os lados.
-A visão, entrada e saída do piloto do cockpit, continuam intactas, exatamente como é hoje.
-A interferência na aerodinâmica do F1 é quase zero, nula.
-Seu design acompanha e se camufla nas linhas do F1, deixando-o praticamente invisível.
-Possui área para patrocinador.





Ele é desativado quando:

- Entra nos boxes
- Quando está parado
- Quando o piloto tira o volante
- Tem botão externo de emergência para abaixar as barras, facilitando o trabalho dos paramédicos em pista.





Ele é ativado quando:

- Em impactos fortes
- Objetos que entram na área da proteção dos sensores
- Só quando o F1 entra na pista
- Se a inclinação do F1 for maior que 60 graus
- Sistema BS ( benefício Senna ): Sensores especiais são postos na pista em curvas perigosas, onde o risco de atingir o muro é grande. Quando o F1 se aproxima a um metro do muro, os sensores da pista ativam o PCP, disparando suas barras antes do carro tocar o muro.







PCP RETRÁTIL - segundo modelo

Este é um modelo mais simples. Consiste de um suporte em U fixo com dois pequenos
pistões hidráulicos ( semelhantes aos que acionam o DRS ) e quatro travas eletrônicas.
Acima disso estão equipadas e montadas as barras do PCP .

Funciona assim : quando o F1 se move, os pistões sobem e as travas fixam automaticamente as barras do PCP na posição acima da cabeça do piloto, tornando
a proteção normal . 

Quando o carro para (por acidentes na pista ou trocas nos boxes ) , as travas são automaticamente recolhidas e os pistões puxam a barra do PCP para baixo, 
deixando o caminho livre para o piloto sair do cockpit normalmente.
Além disso, caso haja algum peso sobre as barras, seus sensores não deixam o PCP abaixar, protegendo o piloto nos casos onde um carro acidentado pare sobre o cockpit. mesmo com o PCP acionado, o piloto consegue sair por entre as barras, devido ao dispositivo conservar o mesmo tamanho da abertura do cockpit do carro (e se necessário, ainda pode ter um botão de acionamento externo para os paramédicos).

Este conjunto ( de dimensões previamente reduzidas) é montado no interior do degrau do cockpit, ficando entre as paredes laterais e o protetor da cabeça do piloto 
( que deve ser remodelado ), utilizando parte do mesmo espaço.








http://www.loogix.com/images/261Zr

Terceiro modelo de PCP RETRÁTIL
gifs website
FreeGifMaker.me 


E aqui uma ideia básica de como ficaria o PCP RETRÁTIL nos carros da Indy.





E nesta simulação com o modelo de PCP FRONTAL, mais simplificado ( também enviado para contatos na Indy, Quem sabe chega aos dirigentes da categoria que o adotam por lá ). 



Abaixo algumas idéias de projeto do sistema interno para elevar as barras do PCP RETRÁTIL ( sistema de pistão e motor de passo 1,  e deslisante 3, só com motor de passo ( também enviados para a FIA ). 








Modelo de PCP BARRAS DESLIZANTES:

Neste modelo, as barras superiores se abrem como a cabine de um avião caça, deslizando para trás e abrindo totalmente o cockpit para o piloto entrar e sair.
Funciona da mesma forma que o mod, de PCP anterior ( retrátil ), quando o F1 anda suas barras se fecham protegendo o piloto, quando o F1 para na pista ou nos boxes, suas barras se abrem automaticamente. 
Segurança: Possui sensor de presença e pressão, se algo ficar acima da cabeça do piloto, no caminho de abertura das barras, ou pesando sobre elas, o sensor mantém as barras fechadas protegendo o piloto, que poderá sair por entre elas normalmente, mesmo estando fechadas. Caso precise, o piloto também pode aciona-las por botão no volante ( assim como um botão externo para os paramédicos).

fotos modelo abaixo:



                     F1 em movimento na pista, as barras se fecham automaticamente.


F1 parado na pista ou nos boxes, as barras se abrem automaticamente.


                            exemplo animado de funcionamento do dispositivo



Modelo de PCP FRONTAL 1 ( simulação básica ) :

Criei uma outra versão um pouco mais simplificada, rápida e de baixo custo para ser construída, testada e implantada em um F1.
Este seria o modelo de "PCP FRONTAL", possui um design atual, integrado aos retrovisores laterais, acompanhando as linhas gerais aerodinâmicas do F1.
O equipamento seria fundido ( ou usinado ) em uma única estrutura monobloco de liga de Titânio e aço inox ( a mesma liga usada na fabricação das pás do rotor dos helicópteros Apache, projetadas para serem leves e muito resistentes, suportando impactos de projéteis e estilhaços nos campos de batalha ). 
Seu projeto seria baseado nas normas ISO "ROPS e FOPS" (normas 3449-1992 e ISO 3471-1994 - norma estrutural usada em gaiolas e cabines para tratores, a qual suporta o peso da máquina e quedas).
Com a estrutura pronta, coloca-se um pára-brisa de policarbonato resistente e os espelhos retrovisores nas cavidades laterais.
A idéia seria que este pequeno PCP FRONTAL, com seu formato compacto e aerodinâmico, já daria uma boa proteção, DESVIANDO a maioria dos objetos, pequenos ou grandes, da cabeça do piloto, vindos na direção FRONTAL.

E uma vez que esse modelo não possui aquelas barras laterais superiores do primeiro PCP, os retrovisores, com sua estrutura integrada ao resto do conjunto, também oferecem alguma proteção contra objetos que venham em um ângulo um pouco mais lateral. Então estes retrovisores "monoblocos" não deixariam as laterais totalmente abertas e descobertas ( dupla função ).


Este modelo de PCP, por ter uma estrutura ( moldura ) em barras metálicas, seria bem rígido e não se curvaria com o impacto de pneus ou barreiras por exemplo, como acontece com equipamentos feitos apenas de policarbonato.


Em fim, esse modelo não interfere em nada na entrada e saída do piloto, também mantendo o cockpit totalmente aberto, mesmo em capotamentos. Tem um impacto aerodinâmico menor sobre o F1, é mais prático, barato e fácil de instalar no F1, além de manter um visual harmonioso. E durante as corridas pode receber aquelas películas iguais ao sistema da viseira do capacete do piloto. Na parada para o pitstop, caso precise, uma película é rapidamente retirada do PCP pelos mecânicos, o mesmo sistema usado a anos nos carros da NASCAR.









 (foto de visão real do piloto Lucas di Grassi testando os pneus Pirelli - câmera montada diante de um de seus olhos ).
Simulação básica de visão real do piloto com o modelo de PCP FRONTAL instalado no cockpit.



E o modelo de PCP frontal 2, o mais simples possível:
Sem parabrisa frontal, apenas a estrutura metálica com os retrovisores integrados.







E a versão com "barra superior envolvente" para proteger melhor o piloto de impactos laterais ou superiores com pneus, objetos, barreiras, carros subindo no cockpit, etc.









Novos modelos ainda mais simplificados, apenas usando barras retas ( maior diâmetro ), com outras levemente curvadas ( menor diâmetro ). Porém sempre aplicando um leve design estético que possa fazer o dispositivo ficar o mais camuflado e harmonioso possível, combinando com as linhas do F1. Tudo para evitar ao máximo que o dispositivo de segurança se torne algo estranho e destoante do resto do carro, sem tirar sua eficácia na proteção da cabeça do piloto.




Este modelo possui um perfil e design um pouco mais aerodinâmico, aplicando-se fibra de carbono em algumas barras, além de aumentar a proteção lateral com a estrutura dos espelhos fazendo parte do conjunto rígido do PCP.



E aqui com mais um acessório, a barra tipo "ponte" ou TARGA, aumentando a proteção lateral e superior da cabeça do piloto, mantendo sempre o cockpit aberto e a área livre para o piloto entrar e sair normalmente do carro, porém com muito mais proteção para sua cabeça.



Neste modelo de PCP FRONTAL, as barras centrais laminares são horizontais, melhorando a visão do piloto.




                                           Modelo simplificado aplicado em um carro da GP2



PCP FRONTAL COM ALETAS HORIZONTAIS

Nesta versão as barras de liga metálica externas verticais são de maior bitola e as horizontais internas de menor, tudo revestido com fibra de carbono para dar um perfil aerodinâmico e estético ao conjunto, com uma versão opcional de barra "targa" acima da cabeça do piloto.



MODELO DE PCP COM ALETAS VERTICAIS


Neste modelo, além das barras superiores protegerem mais, as aletas de fixação dos retrovisores são integradas ao conjunto, criando maior proteção lateral.

Ou com barras laterais sem suporte para retrovisores (atualizado).




E aqui uma pequena simulação de como seria a visão do piloto com o PCP com Barras laterais (atualizado) instalado no F1



PROTETORES DE RODA

E já que a proposta é aumentar a segurança, por que não aplicar também dispositivos protetores contra as famosas decolagens....
Desenvolvi então estes PROTETORES DE RODA para evitar que as rodas dos F1 se toquem ou enrosquem, provocando acidentes com os carros decolando, passando uns sobre os outros, etc.
São constituídos de estruturas atrás das rodas dianteiras e na frente das traseiras, além de um pequeno tipo de para-choque atrás da roda traseira que estaria ligado ao RIS ( sistema de impacto de traseira ).








Reunião FIA, e o dia chegou.

E em Novembro de 2012, fui convidado por Charlie Whiting a dar uma palestra sobre o PCP aos engenheiros do grupo O.C.R.G ( open cockpit research group )  na sede da FIA em Paris.



Um dia inesquecível, onde pude apresentar todos os detalhes deste projeto, com a ajuda inestimada de Sérgio Ferreira ( analista de sistemas e software de desempenho ). Conhecemos Andy Mellor ( engenheiro chefe ), Peter Wright ( um dos engenheiros criadores do lendário carro asa Lotus 78, 79, etc ), entre outros.
Todo o projeto do PCP foi deixado aos cuidados do grupo, que analisa sua viabilidade de um dia quem sabe existir e ser implantado nos carros de F1.

          
(da esquerda para a direita: Sergio Ferreira, Ubiratan B. Costa, Peter Wright e Andy Mellor).



Aqui em uma das reuniões que tive com Charlie Whiting, diretor da FIA em Interlagos - SP sobre o projeto PCP, entre outros....




Conclusão:


O PCP poderia ter evitado ferimentos e a morte de muitos pilotos na formula 1 ao longo dos anos, e em várias outras categorias que igualmente possuem carros com cockpits abertos.


Muito se investe na F1 em tecnologia, materiais, aerodinâmica, etc, para aumentar milésimos de segundos... Mas quantos pilotos ainda precisarão morrer para que implantem o PCP na F1?


PCP, para quê? Viva o KERS!!



Quanto tempo ainda a GPDA esperará para fazer valer o aumento da segurança em sua categoria?



Piloto, a criação do PCP é a minha humilde contribuição para o aumento da segurança nesse fascinante esporte. É o que um profissional que não faz parte direta do circo da F1 pode fazer.



Então fiz a minha parte....


E lembre-se, de todos que te cercam, vc é o único que sofre as conseqüências diretas dentro de um cockpit sem PCP, e seus familiares também.....


ass. UBIRATAN BIZARRO COSTA

(designer industrial automobilístico )

autor desse projeto


contato@bizarrodesign.com.br


E vc, apoia ( sim ou não ) a implantação do PCP na F1 em 2010?

Deixe seu comentário e ajude a fazer uma campanha a favor do aumento da segurança na F1.

Comentários

  1. Muito show a sua ivenção camarada! o uso dele com um material de liga de titanio revestido de fibra de carbono seria bem interessante, mas o problema é como desmonta em caso de emergência, penso que ele devia ser interado com aquelas ombreiras que quase cobre a cabeça do piloto e que quando o piloto saisse rapidamente do carro ele empurrasse essa interação da ombreira com o PCP na parte de baixo e jogasse para frente do carro sendo pendurado por uma junta de titanio articulado, e assim, tendo mais perfeição na fixação dessa peça de segurança em qualquer impacto! Até mesmo num carro em cima do piloto.

    ResponderExcluir
  2. Caro Bira:

    Gostei imenso da ideia. Acho que teria muito mais viabilidade do que os cockpits fechados como vimos na Le Mans Series. O tal problema seria, como já foi dito, a maneira como o piloto sairia do cockpit em caso de acidente ou emergência. Teria que ser algo que pudesse ser fácil de tirar, quer por ele, quer por exemplo, pelos comissários de pista.


    Agora, espero que tenhas anotado bem essa ideia, patenteá-la e testá-la numa situação real, ou em simulador, para saber acerca da sua viabilidade. Aquelas barras laterais, por exemplo, suscitam-me algumas dúvidas em relação à visibilidade do piloto. Mas como em tudo, tem o seu tempo. Afinal, o HANS demorou mais de dez anos até ser um dispositivo viável para os pilotos...


    Bom trabalho! E vou divulgar isto no meu blog e Twitter. Abraços do Outro Lado do Atlântico!

    ResponderExcluir
  3. Cara, demais este teu projeto... Eu ainda acho que o cockipt deveria ser totalmente blindado mas...
    Se isso fosse adotado seria maravilhoso...
    Agora só resta torcer e que você consiga "vender esse peixe". Já pessou amigo... Vc estaria rico :D

    abraços

    ResponderExcluir
  4. A ideia parece boa, e de facto protege o piloto de objectos grandes, tais como impacto com outro carro, pneus ou no caso do carro capotar, mas é ingenuo pensar que protegeria o piloto em situações como a do Filipe Massa.

    A trajectória de objetos com aquele tamanho, no caso uma mola mas poderia ser qualquer coisa, até um parafuso, é completamente aleatória. No caso do Massa, se a mola viesse uns centimetros mais para a direita, matava-o, porque entrava directamente pela viseira do capacete (não sei se a viseira resistiria a um impacto destes... estou a especular).

    Mas vejo muito potencial na ideia, até porque casos como o do Massa são raros, enquanto que capotamentos e impactos com pneus soltos no seguimento de acidentes são muito mais frequentes, e igualmente perigosos.

    Parece-me ser um optimo ponto de partida para algo que venha de facto a ser implementado. Parabens :)

    Vasco Fonseca

    ResponderExcluir
  5. Olha, nao por ser do Brasil ou coisa patriota... Mas muito bem elaborado, mesmo!
    Quem dera pudesse ver essa ideia na F1, porque nao exagera na feiura dos carros como a gente jah chegou a ver por ai ao longo desses mais de 50 anos de F1...
    E bom, sendo do mesmo material que é feito o "Santo Antonio", parece que transmitiria muita resistencia... Nao li a materia, mas pelo que vi... Olha... Soh uma coisa...............................................................................................
    SUCESSO!!! ;)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Amigo, a ideia é interessante sim, principalmente em capotamentos.

    Porém, duas resalvas:

    1) Acho que no caso do acidente de Massa ele não teria sido util pois a peça que o atingiu era pequena e veio quase que frontalmente;

    2) Deverá ser pensado como retira-lo em acso de emergencia, por exemplo, em caso de incendios onde o piloto precisa abandonar o carro o mais rapido possivel.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo ponto de vista real e por lembrar dos seres humanos pilotos tks.

    ResponderExcluir
  9. Na verdade é difícil saber o que aconteceria em caso de uma peça pequena atingir o capacete, mas em caso de objetos maiores, como uma roda, eu concordo que seu projeto faria diferença.

    ResponderExcluir
  10. Excelente ideia. Realmente evitaria muitas tragédias no automobilismo mundial.

    Entretando, como muitos já disseram, no acidente do Felipe me parece difícil de ser evitado com esse seu projeto. Porém, é um ponto de partida grandioso. Até pq, a Ferrari recentemente, final de 2010, apresentou um projeto com o mesmo objetivo do seu: proteger o piloto. No caso, a proteção era semelhante a "viseiras" de motos de grande porte, o que remete fortemente ao acidente de Massa.

    Mas a sua ideia engloba muito mais, desde pneus a capotamento e se um pouco mais trabalhada, ate msm pequenos objetos.

    Parabéns, patenteie e mande um email para FIA!!
    Quem sabe....

    abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

VEJA TAMBÉM:

A teoria do possível "segredo" da asa traseira da Ferrari

BICO FORCE INDIA 2017

MONOFORMULA BK

PCP RETRATIL 4